WPA Cracker: como tramar o nosso vizinho por 34 dólares graças à resposta gradual

by Miguel Caetano on 9 de Dezembro de 2009

Como se o surgimento de Redes Virtuais Privadas baratas e seguras como a IPREDator já não fosse suficiente para demonstrar aos legisladores a inutilidade de leis que contemplam a suspensão do acesso à Internet, o WPA Cracker vem agora mostrar que a resposta gradual pode acabar por prejudicar pessoas inocentes cujo único “crime” foi a de morarem ao pé da pessoa errada.

Oficialmente, o WPA Cracker não passa de um serviço de computação distribuída na nuvem que permite testar a segurança da nossa rede sem fios protegida com o protocolo de encriptação WPA-PSK e, se for caso disso, recuperar a senha. Mas na prática, esta ferramenta pode muito bem ser utilizada por internautas mal-intencionados para fazer downloads da Internet sem ter que pagar uma mensalidade por uma ligação de banda larga.

A situação complica-se caso o cenário se passe em França – país onde entrou em vigor no mês passado a lei Criação e Internet vulgo Hadopi da resposta gradual em três etapas – ou no Reino Unido – em que o governo poderá aprovar a implementação de medidas técnicas contra os alegados partilhadores como o corte da ligação de banda larga em Abril de 2011 caso o nível de pirataria não diminua em 70 por cento até lá.

Por 34 dólares (23 euros), um internauta pode usufruir do cluster de 400 processadores ligados em rede do WPA Cracker para obter a palavra-passe de uma rede sem fios num período de apenas 20 minutos. Segundo os seus responsáveis, o serviço é capaz de testar 135 milhões de opções de termos, uma tarefa que num PC normal com um processador de núcleo duplo demoraria cinco dias. Quem estiver disposto a esperar o dobro do tempo terá que pagar apenas 17 dólares (11,50 euros). Em troca, fica a poder utilizar a ligação do seu vizinho sem que este tenha sequer conhecimento. Caso decida descarregar ficheiros protegidos por direitos de autor, será sempre ele que irá receber as notificações e chamado a comparecer perante um juiz (isto

Ferramentas como o WPA Cracker só provam que medidas repressivas contra os downloads não autorizados como a resposta gradual acabam por sempre por resultar em graves equívocos. Isto porque o acusado pode muito bem não ter cometido a infracção de que é acusado. E no entanto é certo e sabido que os detentores de direitos vão continuar a apresentar endereços IP a autoridades administrativas ou tribunais como se fossem a prova provada de que o internauta associado a esse endereço violou os seus direitos de autor.

A situação é ainda mais grave no caso da França onde o internauta se arrisca a ser acusado de negligência caracterizada no caso da sua rede sem fios ser alvo de uma intrusão. Como é que é possível demonstrar que se tratou de facto de um caso de desleixo se é tão fácil, rápido e barato incriminar o vizinho?

Bookmark e Compartilhe

{ 4 comments }

1 Sua fonte de música! 10 de Dezembro de 2009 às 0:27

WPA Cracker: como tramar o nosso vizinho por 34 dólares com a resposta gradual http://bit.ly/6JhH0X

2 bigkax 10 de Dezembro de 2009 às 1:25

Quando estive a testar a minha rede descobri um programa(julgo russo) que que usava o processador da placa gráfica (GPU) para fazer o ataque, o que diminuía em muito o tempo.
Se bem me lembro um processador de 2 núcleos processava cento e poucas palavras poe segundo enquanto que a melhor gráfica dos teste que eles tinham feito processava entre 50000 e 100000 password por segundo. Isto já foi a algum tempo, agora ja deve de ter resultados ainda melhora e gráficas ainda melhoras.

3 Fábio A. E. Mello 10 de Dezembro de 2009 às 1:35

WPA Cracker: como tramar o nosso vizinho por 34 dólares graças à resposta gradual http://bit.ly/4xFIBY

4 Fábio Alexandre 10 de Dezembro de 2009 às 2:35

WPA Cracker: como tramar o nosso vizinho por 34 dólares graças à resposta gradual http://bit.ly/4xFIBY

Comments on this entry are closed.

Previous post:

Next post:

google - ukash - buruncerrahisi.com - burunestetik.de - geciktirici ilaç