Resposta gradual: medo à solta online na Coreia do Sul

by Miguel Caetano on 27 de Julho de 2009

A polícia do copyright entrou em acção na Coreia do Sul a 23 de Julho. Este foi o dia da entrada em vigor da revisão à lei da resposta gradual elaborada pelo Ministro da Cultura, Desporto e Turismo que a Assembleia Nacional aprovou a 1 de Abril e sobre a qual eu escrevei aqui e aqui.

Foi por causa desta alteração que o Google passou a impedir os bloggers sul-coreanos de fazerem uploads das suas músicas para a plataforma de blogs TextCube. E o caso não é para menos: de acordo com o Korea Times, qualquer tipo de infracção aos direitos de autor – seja vídeos, música ou texto – conta com vista ao limite de três violações. À terceira “prevaricação”, o internauta fica com a sua conta de banda larga suspensa por um período máximo de seis meses.

Do mesmo, as autoridades podem também encerrar quaisquer sites, fóruns online ou redes sociais depois dos seus administradores receberem três notificações – independentemente de os titulares de direitos terem ou não apresentado uma queixa.

É nesse sentido que a empresa SKC, proprietária da rede social Cyworld e do portal Nate, tem vindo a notificar os seus utilizadores de modo a que evitem cometer qualquer acto ilícito como publicar vídeos caseiros com uma música de fundo ou letras de canções.

Outra medida que revela bem o medo que esta lei da resposta gradual está a provocar junto do país com maior percentagem de acessos de banda larga no mundo é que os motores de pesquisa sul-coreanos decidiram deixar de aceitar anúncios para qualquer tipo de serviço de partilha de ficheiros – muito embora estes tenham inúmeros usos legítimos como a disponibilização fácil e económica de distribuições Linux (Ubuntu) e de música livre (Jamendo).

Reagindo às críticas, o governo garante que a medida apenas visa atacar os uploads ilegais cometidos em grandes escala bem como a distribuição de material protegido por direitos de autor com fins lucrativos. Mas será que se pode confiar mesmo na sua palavra? E já agora, quanto tempo vai levar até que este corte da ligação à Internet se alargue a outro tipo de actividades mais ou menos “suspeitas” como a pornografia, o jogo online ou o incitamento ao ódio?

(foto de hojusaram segundo licença CC-BY-SA 2.0)

Bookmark e Compartilhe

{ 1 trackback }

A Declaração de Independência do Ciberespaço | Trezentos
28 de Julho de 2009 às 14:04

{ 3 comments }

1 sonoropt 27 de Julho de 2009 às 20:17

Onde isto vai parar..

Acho graça que agora nem empresas nem artistas podem morrer.. tem de tudo ser salvo de por onde der!!

Basta fazer um cd por copyright.. vender ,ter prejuízo e depois vir dizer que os piratas são a causa da sua ruína só porque lançaram um cd de merda tem que ganhar??

Tem de comprar malta ,tem de comprar.. uma pessoa não pode ter as coisa de graça por "vários meios" que esta arruinar a economia da musica e artistas..

Perderam o total controlo da população,deixaram de ser as vagas gordas que antes foram.. antes da net o que eles roubaram?? ainda hoje roubam mas tem sempre prejuízo..

hasta

2 desobediente 28 de Julho de 2009 às 0:20

RT: @cesarshu: Lei de copyright tolhendo criatividade na Coréia do Sul http://bit.ly/19zRZZ

3 Fábio Alexandre 28 de Julho de 2009 às 3:29

Resposta gradual: medo à solta online na Coreia do Sul http://tinyurl.com/lgvc6f

Comments on this entry are closed.

Previous post:

Next post:

google - ukash - buruncerrahisi.com - burunestetik.de - geciktirici ilaç