Piratas a caminho do Parlamento Europeu

by Miguel Caetano on 8 de Junho de 2009

De 0.6 por cento nas legislativas de 2006, o Partido Pirata Sueco (PiratPartiet) conseguiu ontem obter 7,1 por cento dos votos nas eleições para o Parlamento Europeu. Ao todo foram 214.313 suecos que manifestaram assim o seu repúdio para com a repressão crescente da partilha de ficheiros e com a condenação dos responsáveis pelo Pirate Bay.

As sondagens divulgadas ao longo dos últimos meses que indiciavam um resultado favorável vieram assim a confirmar-se. Pela primeira vez na história do Parlamento Europeu, os internautas e cidadãos contarão com representantes que compreendem a Internet, defendem a legalização da partilha de ficheiros, o fortalecimento da privacidade e a restrição dos direitos de autor à esfera comercial.

Só para terem um termo de comparação, nas eleições de há três anos, o Partido Pirata apenas conseguiu conquistar 34.918 votos. Junto dos eleitores com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos, o Partido Pirata conseguiu mesmo recolher 19 por cento dos votos.

Com esta votação, a ida do cabeça de lista Christian Engström de 49 anos para o Parlamento Europeu está assim plenamente assegurada. Para uma força política eleger um eurodeputado na Suécia, ela precisa apenas de quatro por cento.

A grande dúvida agora consiste em saber se os piratas suecos conseguem eleger um segundo eurodeputado. De acordo com o Tratado de Nice, a Suécia apenas tem direito a 18 eurodeputados. Mas caso o Tratado de Lisboa entre em vigor a 1 de Janeiro de 2010, o país passará a contar com mais dois eurodeputados, sendo que um deverá beneficiar o Partido Pirata.

O mais caricato deste feito é que foi a indústria de entretenimento que mais contribuiu para o sucesso fulgurante da nova força política. Caso os responsáveis pelo Pirate Bay não tivessem sido condenados a um ano de prisão e ao pagamento de 2,7 milhões de euros em indemnizações, é bem provável que o Partido Pirata não tivesse gerado uma onda favorável junto da opinião público como a que cresceu ao longo dos últimos meses.

No mesmo dia em que foi conhecido o veredicto, recebeu mais de 1600 novas filiações. Menos de um mês depois, já era a terceira maior força política sueca, com mais de 43 mil militantes.

Outro dado a reter desta vitória inequívoca dos partilhadores é a importância da Internet enquanto ferramenta de mobilização política. Sem a Rede, a eleição de pelo menos um eurodeputado pirata não teria sido possível. Não obstante todas as tentativas de impedir o acesso aos media tradicionais, o Partido Pirata conseguiu fazer passar a sua mensagem ao seu público-alvo.

Quem também cresceu bastante foram os Verdes, que subiram de cinco por cento nas europeias de 2004 para 10,9 por cento dos votos e dois eurodeputados, tendo sido o quarto partido mais votado. Surpreendentemente, Peter Sunde AKA Brokep, o porta-voz do Pirate Bay, decidiu apoiar os Verdes em vez do Partido Pirata.


A nível europeu, os internautas também somaram algumas pequenas vitórias. Por exemplo, embora o um por cento dos votos recolhidos Partido Pirata Alemão não dê direito à eleição de qualquer eurodeputado, é mais do que suficiente para se habilitar aos subsídios concedidos pelo Estado às forças políticas.

Outra boa notícia é que os Verdes foram o grupo político do Parlamento Europeu que mais cresceu, tendo conquistado 51 eurodeputados contra 43 em 2004. Tendo em conta que o número total de representantes desceu dos 783 para os 736 é um feito notável. O crescimento dos Verdes foi especialmente impressionante na França onde a Europe Écologie de Daniel Cohn-Bendit – um dos autores da emenda anti-resposta gradual do Pacote Telecom – conseguiu passar de seis para 14 eurodeputados, os mesmos que o Partido Socialista.

Este desempenho dos Verdes importa porque eles eram até agora o único grupo parlamentar a defender abertamente a legalização da partilha de ficheiros. E com o regresso do Pacote Telecom ao Parlamento Europeu já a partir de Setembro, a questão da neutralidade da rede e do acesso à Internet como um direito fundamental dos cidadãos voltará a estar em cima da mesa. Para perceber melhor o contexto do novo Parlamento Europeu aconselho a leitura deste artigo de Monica Horten.

Finalmente, convém também não descurar o crescimento do Bloco de Esquerda em Portugal, um dos poucos partidos nacionais que tem propugnado abertamente por uma Internet livre. Com 10,7 por cento dos votos, conseguiu ser a terceira força política mais votada e eleger mais dois eurodeputados para além de Miguel Portas: a socióloga Marisa Matias e o historiador e blogger Rui Tavares. Com três representantes, a partir de agora o Bloco tem tudo para fazer um trabalho ainda melhor na Europa a favor dos interesses dos internautas, por uma Internet livre.
(foto e foto de Billy R segundo licença CC-BY-NC-SA 2.0)

Bookmark e Compartilhe

Artigos relacionados:

  1. Partido Pirata une-se aos verdes no Parlamento Europeu
  2. Um(a) Pirata a mais no Parlamento Europeu
  3. Parlamento Europeu aprova versão original da emenda 138
  4. Parlamento Europeu rejeita resposta gradual contra utilizadores de P2P
  5. Parlamento Europeu rejeita novamente corte da ligação à Internet

{ 23 comments }

1 Mad Dogg 8 de Junho de 2009 às 19:47

Muito sinceramente, dou os meus parabéns a esta iniciativa sueca em levar adiante este projecto ousado, e não estou a ser irónico.
Quem sabe assim, da pior forma possível, os "quens de direito" passam a agir em conformidade, uma vez que pouco ou nada fizeram até agora a não ser palavrório inútil e promessas vazias.
Estes mesmos quens de direito, devido á sua incompetência flagrante, bem como á sua mesquinhez em não querer alterar o que devia de ser alterado, devem agora enfrentar não apenas o zé povinho que saca tudo da net, mas partidos políticos no Parlamento Europeu e agora a história é outra.

Da minha parte, parabéns aos suecos pela coragem e iniciativa. Chegaram até aqui, agora que vão e vão com Deus mostrar ao mundo do que são capazes. A César o que é de César.
Quanto aos responsáveis pela catástrofe que se vive hoje em Portugal, em TODOS os mercados ligados directa ou indirectamente á cultura, que derivou apenas e tão somente do DESCASO, da INCOMPETÊNCIA, da GANÂNCIA e da PERMISSIVIDADE ABUSIVA E LESIVA EM RELAÇÃO A MONOPÓLIOS, deixo aqui os meus PÊSAMES bem como esta frases bem sentidas: É BEM FEITA! VOCES MERECEM! E OBRIGADO POR NOS TEREM MATADO A TODOS!

Felicidades PiratPartiet! ;)
Mad Dogg

2 PPP 8 de Junho de 2009 às 20:55

Tambem existem um Partido Pirata Portugues em http://partidopirata.co.cc/

3 Carlos Augusto 8 de Junho de 2009 às 21:10

Qual o número de registo no Tribunal Constitucional?

4 PPP 8 de Junho de 2009 às 21:26

Não sei quem colocou a informação anterior mas neste momento ainda não está formado como partido. Existe como movimento para trazer este assunto para a consciência da realidade portuguesa e para a futura criação do Partido Pirata Português.

Existe apenas há algumas semanas e está no seu começo. Qualquer ajuda é bem vinda.

5 Carlos Augusto 8 de Junho de 2009 às 21:47

Está certo. Existe um partido pirata…à pirata! Ou seja, sem regras, sem registo, anárquico. Para mal dos vossos pecados o mundo real é bem diferente do mundo virtual. Até serem partito têm muito que trabalhar (eu depois explico o que quer dizer isso de "trabalhar", mas garanto-te que é uma maçada e que custa bastante mais que carregar no rato e sacar coisas feitas por outros.)

6 PPP 8 de Junho de 2009 às 21:50

Pois… é para isso que o grupo existe, para trabalhar nesse sentido.
Infelizmente não se pode começar um movimento com ele já feito.

7 Miguel Caetano 8 de Junho de 2009 às 22:03

PPP, eu também continuo à espera das vossas respostas ao meu questionário. Se é para lançar um partido de "brincadeirinha", mais vale não lançar…

8 fjfonseca 8 de Junho de 2009 às 21:31

Mesmo sem a entrada em vigor do Tratado de Lisboa é possível que o PiratenPartie consiga o segundo deputado pois a contagem dos votos ainda está a decorrer.

9 nmsampaio 8 de Junho de 2009 às 22:19

Piratas a caminho do Parlamento Europeu http://tinyurl.com/lbgqc6

10 Paulo Querido 8 de Junho de 2009 às 23:25

LER no Remixtures: Piratas a caminho do Parlamento Europeu http://is.gd/TGOn

11 João Paulo 8 de Junho de 2009 às 23:26

Quem? Os do BPP ou do BPN? RT @PauloQuerido: LER no Remixtures: Piratas a caminho do Parlamento Europeu http://is.gd/TGOn

12 Darthx 9 de Junho de 2009 às 0:28

“Roma e Pavia não se fizeram num dia.”

13 Anonymous 9 de Junho de 2009 às 0:49

Antes de mais os meus parabens pelo blog estar a dar voz ao Futuro politico, só demonstra qualidade.

Quero tambem dar os parabens ao PPS que lá caminha para o parlamento do Euro. Espero e desejo que este seja o primeiro de muitos. Devo confessar que por cá já se dá uns passos na mesma direcção, apesar de cautelosos, tambem me parecem seguros. O PPP é de facto um movimento em que todos vós devem participar e exercer os vossos dereitos, expressar as vossas ideias, e quem sabe dentro de quatro anos ou oito não estamos a comentar e a festejar algo pareceido. Ainda há muita estrada para andar mas acredito que com o espirito de partilha que existe em Portugal tudo é possivel.

O futuro já começou, vem participar,

http://partidopirata.co.cc/

14 Fábio Alexandre 9 de Junho de 2009 às 1:29

Piratas a caminho do Parlamento Europeu http://tinyurl.com/lbgqc6

15 marcocandeias 9 de Junho de 2009 às 11:21

Piratas a caminho do PE: http://bit.ly/Pouqa

16 GL 9 de Junho de 2009 às 11:24

Já são a 3ª força política sueca RT @marcocandeias: Piratas a caminho do PE: http://bit.ly/Pouqa

17 João Neto 9 de Junho de 2009 às 11:30

Prefiro os piratas somalis…coitados…@G_LJá são a 3ª força política sueca RT @marcocandeias: Piratas a caminho do PE: http://bit.ly/Pouqa

18 Felipe Tavares 9 de Junho de 2009 às 17:54

O Partido Pirata sueco garantiu uma cadeira no parlamento europeu. Grande vitória pros usuários da intermet. http://migre.me/1YGY

19 cmoreira 9 de Junho de 2009 às 18:09

[viaGoogleReader] Piratas a caminho do Parlamento Europeu:
De 0.6 por cento nas legislativas d.. http://bit.ly/SaUuV

20 MrSteed 9 de Junho de 2009 às 18:36

Um conselho para o grupo que se quer constituir como partido em Portugal: arranjem alguém que saiba falar com os media. Constituam essa pessoa como porta-voz.

É mal jogado dizer coisas do género "trabalhamos não podemos responder" e deixar quem está do vosso lado duas semanas sem resposta. Dá muito o ar de quem não sabe o que está a fazer.

Já agora, a resposta certa seria: "Pedimos desculpa, o movimento ainda está a dar os primeiros passos mas vamos fazer os possíveis para responder com a maior brevidade".

21 dextro 9 de Junho de 2009 às 17:45

Infelizmente as pessoas envolvidas no movimento para a criação de um Partido Pirata Português trabalham e têm as suas vidas, não são profissionais da politica logo nem sempre podem responder instantaneamente aos pedidos.

22 Miguel Caetano 9 de Junho de 2009 às 17:53

dextro, já enviei as questões no dia 25 de Maio. Passaram duas semanas e até agora nada :-(

23 dextro 9 de Junho de 2009 às 18:36

Como eu muitos dos elementos são estudantes universitários e como deves saber estamos em época de exames.

Tanto quanto sei as perguntas não foram esquecidas.

Comments on this entry are closed.

Previous post:

Next post:

google - ukash - buruncerrahisi.com - burunestetik.de - geciktirici ilaç