DJ Danger Mouse & Sparklehorse lançam CD virgem em protesto contra EMI

by Miguel Caetano on 18 de Maio de 2009


O DJ e produtor Danger Mouse é já nosso conhecido. Ele foi o responsável pelo seu álbum-mashup The Grey Album de 2004, que combinava as letras das músicas de The White Album dos Beatles com as rimas de The Black Album de Jay-Z. Os samples combinados de uma forma extremamente criativa fizeram com que esse disco elevasse os mashups à categoria de arte.

Mas o que fez com que o álbum se tornasse extremamente popular na Internet foi o facto da EMI – a editora que detém os direitos fonográficos dos Beatles – se ter recusado a autorizar a sua publicação. O resultado é que o disco acabou por ser disponibilizado gratuitamente na Internet, em grande parte devido a uma campanha de ciberactivismo denominada Grey Tuesday que teve lugar a 24 de Fevereiro de 2004, dia em que milhares de fãs se envolveram activamente na sua distribuição online. De nada valeram as intimações enviadas pelos advogados da EMI. Já era demasiado tarde.

Nos últimos anos, Danger Mouse ficou conhecido do grande público graças aos Gnarls Barkley, uma dupla com o rapper Cee-Lo. Ao mesmo tempo, o DJ tem também colaborado com nomes como Gorillaz e The Black Keys. Mas agora, Danger Mouse corre o risco de voltar a ter complicações legais com a EMI. Tudo por causa de Dark Night of The Soul, um álbum em colaboração com o projecto de rock psicadélico Sparklehorse (AKA Mark Linkous).
O disco de 13 faixas conta com as colaborações vocais de uma série de nomes sonantes do Rock alternativo e independente: Wayne Coyne (The Flaming Lips), Julian Casablancas (The Strokes), Iggy Pop, Frank Black (ex-Pixies), James Mercer (The Shins), Gruff Rhys (Super Furry Animals), Jason Lytle (ex-Grandaddy), Suzanne Vega, Nina Persson (The Cardigans), etc.

Uma vez que não conseguiram obter junto da EMI todas as autorizações necessárias, Danger Mouse e Sparklehorse lembraram-se de uma solução bastante engenhosa de modo a evitar o batalhão de advogados da EMI: decidiram comercializar o álbum partir do site oficial do disco sob a forma de um CD-R em branco, isto é, sem incluir qualquer música, e segundo duas opções: uma que custa dez dólares e oferece um poster e outra, limitada a uma edição de cinco mil exemplares numerados à mão, que por um preço de 50 dólares oferece ainda um livro composto de 100 fotografias originais da autoria do cineasta, fotógrafo, músico e pintor norte-americano David Lynch.

Inspiradas na música do álbum, as fotografias destinam-se a fornecer ao ouvinte uma “narração visual da música”. Quanto ao próprio CD, todas as cópias virão com uma etiqueta indicando o seguinte: “Por razões jurídicas, o CD-R fornecido não contem qualquer música. Utilizem-no da forma que quiserem.”

Desta forma bastante imaginativa, Danger Mouse e Sparklehorse estão assim a convidar o ouvinte a gravar a música do disco em si a partir de qualquer site de alojamento de ficheiros ou via BitTorrent. Ao mesmo tempo, conseguem livrar-se de um processo multimilionário da EMI.

Ao fim e ao cabo, eles sabiam muito bem que o disco não tardaria a circular pela Internet fora. Para além do streaming completo legal e autorizado a partir do site da estação pública norte-americana de rádio NPR – que já declarou à Billboard que não faz tenções de o remover tão cedo -, Dark Night of the Soul pode também ser descarregado via FileDropper, RapidShare, MediaFire ou Pirate Bay. Quem pré-encomendar o objecto físico terá que esperar até ao Verão.

Apesar da iniciativa ser bastante engraçada, a verdade é que a banda de Rock experimental The Residents já tinha feito exactamente a mesma coisa em 2006 com The River of Crime! Episodes 1-5, como explica Peter Kirn do Create Digital Music. E neste caso não se tratou de nehuma disputa legal ;-)

(A foto de Danger Mouse pertence a jdlasica segundo licença CC-BY-ND 2.0)

Bookmark e Compartilhe

Artigos relacionados:

  1. Protesto de brasileiros contra o projecto de lei do senador Azeredo para o cibercrime aumenta de tom
  2. Músicas dos Beatles (re)criadas por rappers
  3. A Sociedade de Conservação dos Mashups
  4. Banda utilizada pela acusação no processo contra o Pirate Bay disponibiliza disco de borla na “Baía dos Piratas”
  5. EMI contra as startups de música online: processa Grooveshark

{ 9 comments }

1 Ricardo Sanchez 18 de Maio de 2009 às 18:48

Danger Mouse e Sparklhorse lançam cd virgem em protesto com a EMI http://tinyurl.com/qkwbey

2 Ricardo Sanchez 18 de Maio de 2009 às 20:48

Danger Mouse e Sparklhorse lançam cd virgem em protesto com a EMI http://tinyurl.com/qkwbey

3 Rui Manuel Martins 18 de Maio de 2009 às 23:09

Genialmente engenhoso! Não aprecio, de todo, o trabalho deste senhores das travessas que se dizem músicos e fazem repetições infinitas à volta de harmonias e melodias, na maioria das vezes, não da sua autoria e quando são, são de uma limitação clara. Mas falo no geral, porque já ouvi uma ou outra coisa de valor a que se pode chamar arte (que não tem como elemento de identificação os meios usados) e outras tantas que não conheço porque a área não me fascina. Mas indo para o assunto…é genial a maneira como este DJ protesta e mete a editora no bolso. Está na altura das coisas mudarem, quer na arte, no desenvolvimento, na evolução…a sociedade que temos vindo a construir, que vive em função do lucro e não da evolução tecnológica e social, não resulta, temos já provas dadas disso. Recomendo uma vista de olhos aqui http://www.thevenusproject.com/ (é leitura que ainda tenho que aprofundar muito).

4 Rui Manuel Martins 18 de Maio de 2009 às 23:09

Genialmente engenhoso! Não aprecio, de todo, o trabalho deste senhores das travessas que se dizem músicos e fazem repetições infinitas à volta de harmonias e melodias, na maioria das vezes, não da sua autoria e quando são, são de uma limitação clara. Mas falo no geral, porque já ouvi uma ou outra coisa de valor a que se pode chamar arte (que não tem como elemento de identificação os meios usados) e outras tantas que não conheço porque a área não me fascina. Mas indo para o assunto…é genial a maneira como este DJ protesta e mete a editora no bolso. Está na altura das coisas mudarem, quer na arte, no desenvolvimento, na evolução…a sociedade que temos vindo a construir, que vive em função do lucro e não da evolução tecnológica e social, não resulta, temos já provas dadas disso. Recomendo uma vista de olhos aqui http://www.thevenusproject.com/ (é leitura que ainda tenho que aprofundar muito).

5 Compulsivo 19 de Maio de 2009 às 14:21

O link para o DJ que colocou CD-R virgem a venda para protestar contra a gravadora EMI é esse: http://migre.me/1huO (valeu @F_Xavier)

6 Ricardo Sanchez 20 de Maio de 2009 às 2:49

esse disco que o danger mouse lançou de graça para curtir da cara das gravadoras é muito bom. recomendo. http://tinyurl.com/qkwbey

7 Diego Remus 24 de Setembro de 2009 às 7:39

DJ Danger Mouse & Sparklehorse lançam CD virgem em protesto contra EMI http://migre.me/7BKJ

8 Reader 8 de Maio de 2010 às 19:34

Comments on this entry are closed.

Previous post:

Next post:

google - ukash - buruncerrahisi.com - burunestetik.de - geciktirici ilaç