Patrão da Universal Music confessa sofrer de iliteracia digital

by Miguel Caetano on 27 de Novembro de 2007

Não é normal que um avozinho de 68 anos com cara de poucos amigos seja um perito em novas tecnologias. O problema é que este avozinho é “apenas” o director executivo da Universal Music, a maior editora discográfica do mundo – com uma quota de mercado de 25,5 por cento da indústria do disco -, aquela que perseguiu e intimidou milhares de fãs de música através dos seus braços armados chamados RIAA e IFPI.

Mais grave ainda é que o desconhecimento de Doug Morris do mundo digital não foi suficiente para que o CEO da Universal rotulasse peremptoriamente os leitores de MP3 de “repositórios de música roubada”. Isso não impediu, no entanto, que anos mais tarde e num volte-face surpreendente o nosso avozinho tenha decidido cobrar uma taxa sobre as vendas do Zune à Microsoft em troca do licenciamento do seu catálogo. Mas tudo faz sentido se tivermos em conta que nessa altura o sistema iTunes+iPod da Apple já estava a colocar a Universal numa perigosa situação de dependência.

Outro episódio trágico que revela bem a incompetência de Morris é a relação esquizofrénica da sua companhia com o YouTube e o MySpace. Primeiro, acusou-os de serem violadores de copyright e processou-os. Depois acabou por negociar com a YouTube e espera-se que venha a fazer o mesmo com o MySpace. Mais recentemente e depois de anos a tentar proteger as músicas do seu catálogo disponibilizadas em lojas online lá acabou por iniciar uma tímida “experiência” de venda online de músicas sem DRM.

A bem da verdade é preciso reconhecer que ninguém fazia sequer ideia de que o sector da música se iria deslocar em poucos anos para a Internet e outros suportes digitais quando Douglas Morris assumiu o comando da Universal Music em 1995. Mas e em 1999, no ano zero da era pós-Napster? A resposta de Morris é típica de um pragmatismo corporativo um pouco confrangedor, como se pode ler num artigo da edição de Dezembro da revista Wired:

Existe a falsa noção entre os jornalistas de que a indústria discográfica não deu conta do que se estava a passar. Não foi isso que se passou. As editoras apenas não sabiam o que fazer. É como se de repente lhe pedissem para operar o seu cão de modo a remover-lhe o rim. O que é que você fazia?

Não só Morris dá a entender que não havia nenhum “veterinário” entre as suas tropas, como pior ainda:

Nós não sabíamos quem é que havíamos de contratar (…) Eu não era capaz de reconhecer um bom profissional de tecnologias de informação – qualquer pessoa com uma boa conversa da treta teria me enganado.

De facto, quando um avozinho com cara de “Padrinho” de Nova Iorque chega a este grau de honestidade, isto é sinal de que o negócio que ele lidera se encontra em muito mau estado. Mas talvez a honestidade não seja a melhor política nesta altura do campeonato, para responder à pergunta colocada por Bob Lefsetz. Ou por outra, talvez a honestidade já não sirva para grande coisa numa altura em que o rei vai nú já há vários anos. Agora é só uma questão deste império em decadência ruir de vez…

Nota: a imagem que acompanha este post está disponível aqui segundo uma licença CC-BY-NC-SA 2.0 e foi tirada por deepsignal.

Bookmark e Compartilhe

Artigos relacionados:

  1. Patrão da Vivendi optimista em relação ao futuro da Universal Music
  2. Cartoon goza com neo-luddismo de Doug Morris, o patrão da Universal
  3. Universal Music cria loja de MP3 sem DRM de música clássica
  4. Universal Music oferece música grátis com DRM na compra de um telemóvel Nokia
  5. Patrão da Warner Music aos operadores móveis: “Não façam como nós e processem os vossos clientes”

{ 4 trackbacks }

Universal Music cria loja de MP3 sem DRM de música clássica :: Remixtures
28 de Novembro de 2007 às 12:55
Cartoon goza com neo-luddismo de Doug Morris, o patrão da Universal :: Remixtures
30 de Novembro de 2007 às 13:18
Universal Music oferece música grátis com DRM na compra de um telemóvel Nokia | Remixtures
4 de Dezembro de 2007 às 19:11
Big Boss da maior discográfica do mundo em discurso directo | Remixtures
11 de Outubro de 2008 às 0:18

{ 1 comment }

1 xiken 27 de Novembro de 2007 às 17:09

há já uns dias que sempre que tento subscrever a feed de RSS dá-me este erro. Provavelmente é algo que nao serei o primeiro a notar q tá com erros (ou pronto, talvez seja erro da minha parte ate)… mas de qualquer forma era so para avisar do problema. A mensagem q me aparece é esta: (se e que interessa o leitor de RSS que uso é o proprio firefox).

Erro na análise do XML: declaração xml não está no início da entidade externa
Localização: http://feeds.feedburner.com/remixtures
Número da linha 3, Coluna 1:
^

Um abraço,

Comments on this entry are closed.

Previous post:

Next post:

google - ukash - buruncerrahisi.com - burunestetik.de - geciktirici ilaç